Está aqui :

Está aqui

menu

Noticias UP

Subscribe to feed Noticias UP
Portal de Notícias da Universidade do Porto
Actualizado: há 1 hora 9 minutos atrás

FEP debate a transição energética em conferência internacional

4 horas 34 minutos atrás

Iniciativa visa a discussão e divulgação de novas ideias sobre a transição energética, tendo em visto um futuro de baixo carbono. (Foto: DR)

A Faculdade de Economia da Universidade do Porto (FEP), em parceria com a Escola de Engenharia da Universidade do Minho, vai promover a terceira conferência internacional “Energy & Environment: bringing together Economics and Engineering”, que terá lugar nos dias 29 e 30 de junho, na Atmosfera M, no Porto (sita na Rua Júlio Dinis, nº 158/160, Porto).

A ICEE vai reunir os principais cientistas, investigadores e representantes de empresas e instituições da área da energia para discussão e divulgação de novas ideias sobre a transição energética, tendo em visto um futuro de baixo carbono.

Entre os oradores convidados destacam-se os keynote speakers Henrik Lund, Professor do Departamento de Desenvolvimento e Planeamento da Universidade de Aalborg (Dinamarca) e  Editor Chefe da revista “Energy”; Jorge Vasconcelos, Presidente da Associação Portuguesa da Economia da Energia e CEO da NEWES – New Energy Solutions; Luc Hens, Professor do Departamento de Economia Aplicada da  Vrije Universiteit Brussels (Bélgica) e Editor Chefe da revista “Environment, Development and Sustainability”; Reinhard Haas, Professor e Diretor do Energy Economics Group na Vienna University of Technology ( Áustria).

“Foram convidados alguns dos especialistas nacionais e internacionais que mais têm contribuído para explicar como a transição energética exige, simultaneamente, que a Economia entenda as alternativas tecnológicas e que se faça entender em tudo o que cada uma delas pode envolver de risco, incerteza, mercados, financiamento e possíveis impactes económicos e sociais, virtuosos ou perversos”, salienta a Professora da FEP e responsável máxima da organização da ICEE 2017, Isabel Soares.

A conferência contará com a participação de investigadores provenientes de dezoito países.

Mais informações aqui .

Investigadores do Cintesis premiados em congresso internacional

5 horas 8 minutos atrás

Um trabalho desenvolvido por investigadores do Centro Investigação em Tecnologias e Serviços de Saúde (CINTESIS), Unidade de I&D da Universidade do Porto, recebeu o prémio de melhor póster na sessão “Education of health care professionals & patients”, integrada no EAACI Congress 2017 – Congresso da European Academy of Allergy and Clinical Immunology, que decorreu entre 17 e 21 de junho, em Helsínquia.

Intitulado “Publication trends of Allergy and Clinical and Translational Allergy journals: a MeSH term-based bibliometric analysis”, o estudo premiado é da autoria de Daniel Martinho Dias, Bernardo Sousa Pinto e João Almeida Fonseca, todos eles investigadores do grupo EvidenS.

O trabalho resultou da utilização da ferramenta Syn4Data, desenvolvida no CINTESIS pelos investigadores Daniel Martinho Dias, Júlio Souza e António Soares, com orientação do coordenador deste Centro de Investigação, Altamiro da Costa Pereira.

Tendo por base a utilização de termos MeSH, o Syn4Data permite desenvolver análises que avaliam os tópicos publicados por revistas científicas, departamentos de investigação, ou até mesmo investigadores individuais, num esforço para resolver problemas na área da investigação biomédica.

No estudo vencedor, os autores procederam a uma avaliação dos tópicos de publicação das revistas científicas Allergy e Clinical & Translational Allergy com o objetivo de compreender de que modo diferentes temas na área da alergologia têm vindo a ser valorizados ao longo do tempo por parte destas duas publicações da EAACI.

FCUP comemora o Dia do Asteróide em Serralves

8 horas 49 minutos atrás

A Faculdade de Ciências da Universidade do Porto (FCUP) vai comemorar no próximo dia 30 de junho, o Dia do Asteróide, um movimento de alerta global que visa consciencializar a sociedade dos riscos associados ao impacto de asteroides, as medidas para a sua deteção e mitigação dos riscos.

Organizadas pelo Departamento de Física da FCUP, o Centro de Investigação da Terra e do Espaço da Universidade de Coimbra (CITEUC), com a colaboração do Planetário do Porto – Centro de Ciência Viva e do  Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço (IA) , as comemorações vão decorrer ao longo dia, nos espaços da Fundação de Serralves.

Cartaz do evento

programa inicia-se às 11h00 com atividades para os mais pequenos (crianças dos 4 aos 12 anos). A sessão de abertura está marcada para as 14h45 e contará com a presença de Orfeu Bertolami (Diretor do DFA – Departamento de Física e Astronomia da FCUP) e de Isabel Pires de Lima (Vice-Presidente Conselho de Administração da Fundação de Serralves).

Seguem-se três momentos dedicados ao mundo dos asteróides, liderados por Orfeu Bertolami, pela astronauta da NASA Nicole Stott, e por Teresa Seixas (DFA/FCUP). A moderar as intervenções estará o investigador Manuel Silva (DFA, CITEUC).

Após uma pausa para café, o programa prossegue a partir das 17h30 com uma visita guiada à exposição de meteoritos com a Prof. Dra. Helena Couto. Para as 18h00 está agendada uma sessão de cartazes e visualização de filmes, seguida da leitura de excertos de “O Principezinho” de Antoine de Saint-Exupéry, por Marisa Monteiro, Muse de História Natural e da Ciência da Universidade do Porto (MHNC-UP) .

A entrada é livre.

Mais informações na página do evento no Facebook.

IAstro Júnior leva a vida das estrelas ao Planetário do Porto

9 horas 31 minutos atrás

IAstro Júnior no Planetário do Porto – Centro Ciência Viva

O Instituto de Astrofisica e Ciências do Espaço (IA), em parceria com a revista VISÃO Júnior, promove no próximo sábado, dia 24 de junho, mais uma sessão do IAstro Júnior,  iniciativa que convida crianças dos 7 aos 12 anos a explorar alguns temas temas fascinantes sobre o Espaço e o Universo.

Com início marcada para as 18h00, a sessão terá lugar no Planetário do Porto – Centro Ciência Viva e será dedicada à Vida das Estrelas. Para o efeito, três investigadores do IA terão 10 m

inutos cada um para apresentar este tema e envolver o público com atividades. No final haverá tempo para satisfazer a curiosidade das crianças e responder às suas perguntas.

Iniciado em novembro do ano passado, o IAstro Júnior consiste num conjunto de sessões trimestrais que dá então aos mais novos uma oportunidade de descobrirem o mundo da astronomia lado a lado com investigadores “de carne e osso”. Para além do do Planetário do Porto – Centro Ciência Viva, a iniciativa passa também pelo Planetário Calouste Gulbenkian – Centro Ciência Viva.

As sessões são gratuitas mas requerem inscrição prévia em: www.iastro.pt/iastrojunior/

Sobre o IA

Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço é (IA) é uma estrutura de investigação criada em 2014, em resultado da fusão entre as duas unidades de investigação mais proeminentes no campo em Portugal: o Centro de Astrofísica da Universidade do Porto (CAUP) e o Centro de Astronomia e Astrofísica da Universidade de Lisboa (CAAUL). Atualmente engloba a maioria da produção científica nacional na área, tendo sido avaliado como “Excelente” na última avaliação que a Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT) encomendou à European Science Foundation (ESF).

Cientistas do IA em missão espacial para descobrir planetas semelhantes à Terra

Qua, 21/06/2017 - 16:58

A missão PLATO irá construir um catálogo com as características de exoplanetas confirmados, como raio, densidade, composição, atmosfera e estágio da evolução em que estão. (Imagem: ESA/C. Carreau)

Uma equipa de cientistas do Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço (IA) está envolvida numa missão espacialPLATO (PLAnetary Transits and Oscillations of stars, ou trânsitos planetários e oscilações das estrelas) – da Agência Especial Europeia (ESA) que tem como objetivo descobrir planetas semelhantes à Terra e determinar se estes possuem as condições essenciais para o aparecimento de vida.

A decisão de passar a missão espacial PLATO à fase de desenvolvimento foi tomada na última reunião do Comité do Programa Científico (SPC) da ESA. Esta missão junta-se agora às duas outras missões classe M já adotadas, o Euclid (também com participação do IA), e o Solar Orbiter.

Segundo Mário João Monteiro (IA & Faculdade de Ciências da U.Porto), delegado português no SPC, a PLATO é “uma missão ambiciosa que irá fazer um levantamento completo das estrelas na vizinhança do Sol. Portugal participa nesta missão com o envolvimento de institutos de investigação e da industria, assegurando uma contribuição significativa para o seu planeamento, implementação e exploração científica”.

Durante os próximos meses, a indústria europeia será convidada a apresentar propostas para a construção deste observatório espacial, a ser lançado em 2026 para o Ponto de Lagrange L2. “Esta missão vai dar-nos a possibilidade de detetar dezenas de planetas semelhantes à Terra a orbitar estrelas brilhantes, próximas de nós. É assim um elo fundamental no roadmap que foi definido para o desenvolvimento desta área em Portugal, e que inclui já uma participação forte noutros instrumentos para o ESO, como o ESPRESSO, NIRPS, ou HIRES) e noutras missões da ESA, como a CHEOPS.”, explica Nuno Cardoso Santos , investigador do IA e da FCUP.

Ao longo da missão, os cientistas pretendem descobrir se a formação de planetas como a Terra é comum, e posteriormente, usar esses dados para determinar se estes planetas têm as condições essenciais para o aparecimento de vida. A PLATO vai ainda medir oscilações nas estrelas-mãe destes exoplanetas, com técnicas de asterossismologia.

O PLATO vai observar, durante vários anos consecutivos e com grande precisão, milhares de estrelas brilhantes relativamente próximas. Nestas, através do método dos trânsitos, irá procurar em particular por super-terras e planetas do tipo terreste, que orbitem na zona de habitabilidade de estrelas do tipo solar. Estas observações irão fornecer dados acerca destes planetas, além de tentar perceber a arquitetura dos sistemas planetários onde estes se encontram. A partir das curvas de luz obtidas será também possível determinar as frequências de oscilação em algumas dessas estrelas.

Margarida Cunha (IA & Universidade do Porto), coordenadora do grupo de trabalho de diagnósticos sísmicos, da componente de ciência estelar do PLATO acrescenta que “a análise das curvas de luz do PLATO vai permitir determinar com precisão, recorrendo à asterossismologia, os raios, massas e idades das estrelas em torno das quais os planetas orbitam. Essa determinação é essencial para a inferência da massa e do raio dos planetas que orbitam em torno das mesmas, bem como para a caracterização dos sistemas exoplanetários como um todo.”

O PLATO pretende ainda construir um catálogo com as características de exoplanetas confirmados, como raio, densidade, composição, atmosfera e em que estágio da sua evolução está. No total, espera-se que o catálogo contenha características de milhares de exoplanetas (incluindo gémeos da Terra), mas também as massas e idades muito precisas de mais de 85 mil estrelas e 1 milhão de curvas de luz de alta precisão, que ficarão à disposição da comunidade científica.

Este catálogo de planetas potencialmente habitáveis servirá assim de base para futuros estudos, levados a cabo pela próxima geração de instrumentos, como o ESPRESSO (VLT) ou HIRES (ELT), ambos com uma forte participação do IA, ou dos grandes telescópios da próxima geração, como o Extremely Large Telescope (ELT) do ESO ou o Telescópio Espacial James Webb (NASA/ESA).

ClimateLaunchpad vai premiar ideias com benefícios climáticos

Qua, 21/06/2017 - 15:58

Equipas nacionais no bootcamp do ClimateLaunchpad, no UPTEC. (Foto: UPTEC)

Um pavimento rodoviário que recolhe energia cinética de um veículo, nanossensores que ajudam a avaliar a qualidade de produtos e até um tecido que armazena energia e alimenta dispositivos. Estas são três das seis ideias de negócio que vão ser apresentadas na final nacional do ClimateLaunchpad, que acontece dia 22 de junho, pelas 14h30, no Auditório do Edifício Central do UPTEC.

O ClimateLauchpad, a maior competição do mundo na área da inovação cleantech, é promovido, em Portugal, pelo UPTEC – Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto e pela SPI – Sociedade Portuguesa de Inovação. Em 2016, esta iniciativa internacional recebeu perto de 700 candidaturas de 30 países e totalizou um investimento de cerca de um milhão de euros.

Na final nacional vão ser conhecidas mais três ideias com benefícios climáticos: uma tecnologia para melhorar a climatização de edifícios, uma app de eco-driving em tempo real  e uma solução para facilitar a relação entre proprietários e instaladores de painéis solares.

A final nacional vai eleger os três vencedores português, que terão direito a: acesso direto à Escola de Startups do UPTEC, horas de apoio jurídico da Telles de Abreu Advogados, presença com um stand na Porto Water Innovation Week, evento promovido pelas Águas do Porto.  Nos dias 17 e 18 de outubro, os vencedores vão representar Portugal na final europeia, em Chipre, competição que vai atribuir 10 mil euros ao primeiro classificado e 5000 e 2500 euros ao segundo e terceiro, respetivamente.

As inscrições no evento são gratuitas e podem ser realizadas aqui.

Engenharia Agronómica da U.Porto mostra-se em Vairão

Qua, 21/06/2017 - 14:58
O campus de Vairão da Universidade do Porto acolhe no próximo dia 27 de junho a primeira edição das Jornadas de Engenharia Agronómica da U.Porto, organizadas pela Direção do Mestrado de Engenharia Agronómica da Faculdade de Ciências da U.Porto (FCUP), juntamente com as associações de estudantes IAAS-Porto e NAG-FCUP.

Estas Jornadas têm como objetivo principal dar a conhecer à comunidade U.Porto, mas também à comunidade externa (academia, técnicos agrícolas, empresas e produtores), uma seleção de trabalhos de I&D desenvolvidos pelos estudantes  do Mestrado Engenharia Agronómica da FCUP. Ao mesmo tempo, pretende-se e promover a discussão sobre temas atuais na área da Agronomia.

O programa encontra-se estruturado em três sessões. Cada  sessão inclui a intervenção de um palestrante convidada, seguida de três apresentações orais por antigos estudantes, mestres em Engenharia Agronómica. A participação nas I Jornadas de Engenharia Agronómica da U.Porto é gratuita. Os interessado devem apenas enviar um e-mail para greenup@fc.up.pt com o assunto “Inscrição | JEAGR”.

FAUP participa em Workshop Internacional no México

Qua, 21/06/2017 - 14:00

Na imagem, aos estudantes da FAUP João Barbosa, David Silva, Mariana Amaral e Ailton Correia com a arquiteta Ana Silva Fernandes em Colima, México. (Foto: DR)

Uma equipa da Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto (FAUP), representada pela arquiteta Ana Silva Fernandes, como tutora, e pelos estudantes Ailton Correia, David Silva, João Barbosa e Mariana Amaral, do Mestrado Integrado em Arquitetura, está a participar na quinta edição do Workshop Internacional TAU 2017 – “Taller de Arquitectura y Urbanismo”, que se realiza em Colima, México, até ao próximo dia 2 de julho.

Iniciado a 11 de junho, este workshop decorre de uma rede internacional de escolas de arquitetura em que o representante da FAUP é o Professor Rui Braz Afonso. Esta participação da FAUP permite estabelecer contactos e confrontos com outras escolas e modos de ensino e faculta aos estudantes uma oportunidade de, em contexto real, desenvolver trabalho de grupo com estudantes de outras formações, procurando soluções que se orientem por princípios disciplinares e fomentem o olhar crítico sobre os problemas urbanos.

A quinta edição do evento é organizada pelo INTHAB (Instituto Tecnológico del Hábitat), o Ayuntamiento de Colima através do IPCO, do Gobierno del Estado de Colima, da Cámara Nacional de Comercio de Colima, a Cámara de la Industria de la Construcción de Colima e da Cámara Nacional de la Vivienda de Colima.

A par da Universidade do Porto, participam neste workshop as faculdades e cursos de arquitetura das universidades de Florença e Roma Sapienza (Itália), Hafencity Hamburgo (Alemanha), Kingston (Reino Unido), Politécnica de Valencia (Espanha), Colima, Tecnológico de Colima, Guadalajara – UDG, ITESO de Guadalajara, Autónoma de México – UNAM e TEC de Monterrey, Campus Guadalajara (México)

O workshop focará em quatro temáticas e áreas de Colima – reabilitação do centro histórico, requalificação do Rio Colima, reconversão da área militar e recuperação do Rio Pereyra – para as quais se contribuirá com propostas de intervenção.

Mais informações aqui.

 

 

U.Porto procura “melhor classificação possível” no Europeu Universitário de Ténis de Mesa

Qua, 21/06/2017 - 01:53

Os sete atletas/estudantes da U.porto partiram para a Rep. Checa com a missão de darem o seu melhor pelas cores da Universidade. (Foto: CDUP-UP)

A equipa de Ténis de Mesa da Universidade do Porto está na cidade de Olomouc, na República Checa, para representar Portugal nos EUSA Ténis de Mesa 2017, a principal competição europeia da modalidade a nível universitário.

Orientada pelo treinador José Miguel Neves, a equipa portuense é constituída por sete atletas (Sara Costa, Margarida Ribeiro Matos, Inês Nobre Teixeira, Jorge Costa, Luís Gomes, Miguel Pinto e Francisco Fraga ), a que se junta ainda a chefe de delegação do Centro de Desporto da U.Porto (CDUP-UP), Joana Gil.

A U.Porto é a atual campeã nacional universitária por equipas no feminino e masculino (Foto: CDUP-UP)

Na véspera da estreia na competição, o treinador da U.Porto acredita que, apesar de não serem favoritos, os atletas portuenses – que conquistaram em Portugal todos os títulos universitários possíveis (equipas, pares e individual), – podem  “com alguma sorte aspirar a uma boa classificação nas provas individuais e de pares. (…) A concorrência é forte, há vários jogadores que disputam alguns dos melhores campeonatos da Europa, mas vamos dar o nosso melhor para terminarmos as provas com a melhor classificação possível.”, acrescenta José Miguel Neves.

A U.Porto entra em prova já esta quarta-feira, na prova de equipas, que decorre até sexta-feira, 23 de jnho. No fim-de-seman (24 e 25 de junho)a terá lugar a prova individual.

Para além da U.Porto, participam neste Europeu de Ténis de Mesa 20 instituições de ensino superior de 13 países na competição masculina, e 12 universidade de 8 países na prova feminina.

Mais informações no site oficial do evento.

Depressão e ansiedade associados a pior qualidade do sono em mulheres com cancro

Ter, 20/06/2017 - 16:41

O estudo assinado por investigadores do ISPUP avaliou 458 mulheres pertencentes a uma coorte de doentes do IPO-Porto. (Imagem: Pexels)

As mulheres com diagnóstico de cancro da mama, que tenham sintomas de ansiedade e depressão antes de iniciarem os tratamentos, têm pior qualidade do sono durante os três anos após o diagnóstico de cancro. Assim descreve um estudo desenvolvido por investigadores do Instituto de Saúde Pública da Universidade do Porto (ISPUP), que avaliou as trajetórias da qualidade do sono de 458 mulheres durante os três primeiros anos após o diagnóstico de cancro da mama.

“Sabe-se que a qualidade do sono é um importante preditor da qualidade de vida das doentes e é também sabido que as mulheres com cancro da mama apresentam uma prevalência de problemas do sono muito superior à da restante população. No entanto, existiam poucos estudos que avaliassem a qualidade do sono destas doentes antes do início dos tratamentos para o cancro, pelo que existia pouca informação sobre o momento em que surgiam estes problemas: se já estavam presentes antes do início dos tratamentos ou se surgiam como consequência destes”, refere Filipa Fontes, primeira autora do estudo.

O estudo envolveu 458 mulheres que fazem parte de uma coorte de doentes do Instituto Português de Oncologia do Porto (IPO-Porto), diagnosticadas com cancro da mama e seguidas prospectivamente até três anos após o diagnóstico. As mulheres foram avaliadas em três momentos: após o diagnóstico mas antes de iniciarem os tratamentos, e um e três anos após inclusão no estudo.

O objetivo da investigação consistiu em estudar as diferentes trajetórias da qualidade do sono nos três primeiros anos após o diagnóstico do cancro.

Foram identificadas três trajetórias diferentes de qualidade do sono. Uma das trajetórias distingue-se claramente das outras, na medida em que as doentes apresentaram boa qualidade do sono durante todo o período em análise. Nas outras duas trajetórias as mulheres apresentaram má qualidade do sono durante os três anos, apesar de numa delas ter ocorrido melhoria e na outra deterioração da qualidade do sono durante o primeiro ano após o diagnóstico.

De notar que as mulheres com trajetórias de pior qualidade do sono apresentavam mais frequentemente sintomas de ansiedade e depressão antes do início dos tratamentos, em comparação com aquelas que apresentaram melhor qualidade do sono durante os 3 anos.

“Com este estudo, conseguimos perceber que existe um grande número de doentes com cancro da mama que têm problemas do sono antes de iniciarem os tratamentos. É, portanto, importante desenvolver estratégias para identificar precocemente estas mulheres e melhorar a sua qualidade do sono, e em geral a sua qualidade de vida”, conclui Filipa Fontes.

O estudo intitulado “Trajectories of sleep quality during the first three years after breast cancer diagnosis” foi publicado na revista “Sleep Medicine”, sendo também assinado por Milton Severo, Marta Gonçalves, Susana Pereira e Nuno Lunet.

Eduardo Souto de Moura vence Prémio Europeu de Arquitetura

Ter, 20/06/2017 - 14:52

A reconversão do Convento das Bernardas com assinatura do arquiteto Eduardo Souto Moura já tida sido distinguida, em 2012, com o Prémio de Reabilitação. Foto: Luís Ferreira Alves.

O arquiteto Eduardo Souto de Moura, Professor Catedrático convidado da Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto (FAUP), foi distinguido com o Prémio Europeu de Intervenção em Património Arquitetónico 2017 pela intervenção no antigo Convento das Bernardas (2009-2012), em Tavira, transformado num complexo residencial e turístico.

O júri do prémio, atribuído na categoria Intervenção no Património Construído, foi constituído por Inês Vieira da Silva, Ignacio Pedrosa e Marc Aureli Santos. Nesta categoria, o júri decidiu também fazer uma menção especial ao restauro da Torre Catalã d’Es Pi, em Formentera, nas Ilhas Baleares, de autoria de Marià Castellò.

Da shortlist de 18 candidaturas seleccionadas entre as cerca de 200 propostas recebidas, foi também distinguido outro projeto português, o curso “Versus – Lições do Património Vernacular à Arquitectura Sustentável”, coordenado por Mariana Correia da Escola Superior Galécia, em Vila Nova de Cerveira, premiado na categoria Divulgação.

Na categoria Espaços Exteriores, o prémio foi atribuído ao projeto para as hortas de Caramoniña, em Santiago de Compostela, do atelier Abalo Alonso Architects (Corunha). Por sua vez, na categoria Planificação Urbana, o prémio foi para o Plano Especial de Protecção do Património da Antiga Vila de Sant Andreu de Palomar, Barcelona, da autoria do arquiteto Joan Casadevall Serra. Nesta categoria, o júri atribuiu também uma menção honrosa ao Estudo Programático e Urbano para o Edifício Citröen em Bruxelas, do atelier belga MS-A/Wessel De Jonge.

O Prémio Europeu de Intervenção em Património Arquitetónico conta já com três edições e é uma organização conjunta da Associação de Arquitectos para a Defesa e Intervenção no Património Arquitectónico (AADIPA) e do Colégio Oficial de Arquitectos da Catalunha.

Este Prémio tem periodicidade bienal e na edição anterior já tinham sido premiados dois projetos portugueses: a Casa E/C, na Ilha do Pico, Açores, do atelier SAMI – Arquitectos (Inês Vieira da Silva e Miguel Vieira); e a publicação que João Campos co-assinou com o espanhol Fernando Cobos sobre as fortificações de Almeida e Cidade Rodrigo.

Mais informações em www.fa.up.ptwww.eu-architecturalheritage.org.

Projeto INESC TEC vai promover comportamento energético mais sustentável

Ter, 20/06/2017 - 13:07

Vão ser desenvolvidas novas tecnologias para consciencializar os utilizadores a alterarem o seu comportamentos de consumo no trabalho, na escola e em casa.

Desenvolver, integrar e testar novas tecnologias na área de energia e aplicá-las na análise e consequente mudança de comportamentos, são estes os principais objetivos do FEEdBACkFostering Energy Efficiency and BehAvioural Change through ICT, o novo projeto europeu em que o INESC TEC participa.

Estas novas tecnologias deverão ser usadas para envolver os utilizadores de energia e permitir que percebam e alterem o seu comportamento de consumo, com foco em três ambientes distintos (trabalho, escola e casa), atuando em três áreas geográficas diferentes (Norte de Portugal, Mediterrâneo espanhol e Norte da Alemanha).

O consórcio definido para este projeto conta com sete países europeus e inclui instituições de investigação com experiência na área da energia, três pequenas e médias empresas (PMEs) especializadas em e-learning digital, com vista ao desenvolvimento de aplicações destinadas a mudança de comportamento e construção de bases de dados relacionados com a energia, e três organizações que possuem e gerem edifícios, escolas e alojamentos, de âmbitos público e privado, e que estão comprometidas em baixar e otimizar o seu consumo de energia.

Este trabalho pretende acelerar a comercialização de ferramentas, por parte de PMEs, que permitam aos proprietários de edifícios perceber e reduzir o seu consumo de energia. A longo prazo, pretende-se que as empresas incorporem elementos destas aplicações na procura de alteração de comportamentos, tornando-se mais competitivas e contribuindo para o cumprimento de objetivos de sustentabilidade energética promovidos pela União Europeia.

O projeto conta com um orçamento total de 2,4 milhões de euros.

ICBAS recebe Prémio Corino de Andrade 2016

Ter, 20/06/2017 - 10:00

O ICBAS foi criado em 1975, por iniciativa de um grupo de professores da U.Porto entre os quais se destacava o próprio Corino de Andrade. (Foto: Egidio Santos/U.Porto)

A Secção Regional do Norte da Ordem dos Médicos (SRNOM) distinguiu o Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar (ICBAS) da Universidade do Porto com o Prémio Corino de Andrade 2016, galardão que se destina a pessoas singulares ou coletivas que se tenham “notabilizado pela prestação de serviços relevantes à Medicina e aos médicos portugueses”.

Atribuído anualmente, a nível nacional, o Prémio Corino de Andrade foi instituído em homenagem ao médico e cientista Mário Corino de Andrade, antigo professor e fundador do ICBAS. Em edições anteriores, o prémio, não monetário, foi entregue a outras instituições de reconhecido mérito, tais como o consórcio i3S, a Fundação Calouste Gulbenkian, a Cruz Vermelha, ou a Faculdade de Medicina da U.Porto (FMUP).

O galardão foi entregue no passado dia 18 de junho, durante as comemorações do Dia do Médico, que decorreram nas instalações da SRNOM. Na mesma cerimónia foi ainda entregue o Prémio Daniel Serrão ao médico Bernardo Sousa Pinto, estudante de doutoramento e professor da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (FMUP), na qualidade de aluno que terminou o Mestrado Integrado de Medicina no ano letivo de 2015/2016 com a melhor média final de curso nas três escolas médicas do Norte do País (FMUP, ICBAS e Universidade do Minho).

Sobre o ICBAS

Criado em 1975, por iniciativa de um grupo de professores da U.Porto inspirados no pensamento e obra de Abel Salazar, entre os quais se destacavam Corino de Andrade, Nuno Grande e Ruy Luís Gomes, o ICBAS assumiu-se, desde as origens, como uma escola multidisciplinar e multiprofissional na área das Ciências da Vida. Ao apostar numa formação abrangente em áreas como a Medicina, a Veterinária, a Agronomia e a Biologia, mas também na cooperação com diferentes instituições da cidade – designadamente o Hospital Geral de Santo António -, o instituto introduziu uma série de princípios inovadores que acompanhariam a vida da escola até hoje, fazendo jus à máxima que constitui o lema da escola: “um médico que só sabe Medicina nem Medicina sabe”.

O ICBAS entrou em funcionamento a partir de 1976/77, com as licenciaturas em Medicina e Ciências do Meio Aquático. De então para cá, a escola foi alargando o seu leque de formações (Medicina Veterinária, Bioquímica e Bioengenharia) e de serviços abertos à comunidade, sendo hoje frequentada por uma comunidade de cerca de 3000 estudantes e mais de 250 docentes.

Durante mais de 30 anos, o ICBAS funcionou no edifício que pertencera à Faculdade de Medicina, no Largo da Escola Médica (atual Largo Abel Salazar). Em 2012, o instituto mudou-se para o complexo construído nas traseiras do antigo quartel CICAP da rua D. Manuel II, o qual partilha com a Faculdade de Farmácia da U.Porto (FFUP).

U.Porto termina época desportiva com 196 medalhas conquistadas

Seg, 19/06/2017 - 12:52

A U.Porto dominou o pódio feminino e conquistou o ouro no masculino do CNU de Golfe. (Foto: CDUP-UP)

Os atletas da Universidade do Porto terminaram a época desportiva 2016/2017 com a impressionante marca de 196 medalhas conquistadas nos cerca de 70 Campeonatos Nacionais Universitários (CNU’s) em que a Universidade esteve representada.

O “medalheiro” da U.Porto encerrou este fim de semana com mais um título nacional universitário, desta vez no Golfe. Disputado no Algarve, o CNU de Golfe terminou com a conquista de quatro medalhas individuais (duas de ouro, uma de prata e uma de bronze) e o troféu coletivo para as cores da Universidade.

Os irmãos Tomás Bessa e Leonor Bessa conquistaram os títulos nacionais universitários individuais. Maria João Teixeira foi vice-campeã no feminino, logo seguida por Teresa Jacques, que ficou com a medalha de bronze. Na prova masculina, Miguel Valença foi quarto classificado.

A U.Porto esteve também representada no Jamor no Campeonato Nacional Universitário de BTT XCO, no qual o estudante Daniel Gomes, único participante da U.Porto, ficou em 12º lugar, entre 17 participantes de 9 instituições de ensino superior.

Reitor e professores da U.Porto distinguidos pela Ordem dos Engenheiros

Seg, 19/06/2017 - 12:25

Sebastião Feyo de Azevedo, atual Reitor da U.Porto e antigo Diretor da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP), Raul Moreira Vidal e José Ferreira Lemos, ambos docentes aposentados da FEUP, foram homenageados no passado sábado, 17 de junho, pela Ordem dos Engenheiros – Região Norte (OERN), em reconhecimento do seu contributo em prol do desenvolvimento da engenharia em Portugal.

Licenciado em Engenharia Química em 1973, Sebastião Feyo de Azevedo doutorou-se pela Universidade do País de Gales (Reino Unido) em 1982. Segundo a OREN, “o seu nome ficará para sempre escrito na história da FEUP”, onde é professor catedrático desde 1998 e investigador do LEPABE – Laboratório de Engenharia de Processos, Ambiente, Biotecnologia e Energia da FEUP. Membro fundador da APCA – Associação Portuguesa de Controlo Automático e da Associação Engenharia para o Desenvolvimento e Assistência Humanitária e “um dos principais impulsionadores do Processo de Bolonha”, é membro conselheiro da Ordem dos Engenheiros e membro da Academia de Engenharia e do Conselho Nacional de Educação. Diretor da FEUP entre 2010 e 2014, é, desde 2014, o Reitor da Universidade do Porto.

Sebastião Feyo de Azevedo é, desde 2014, o Reitor da Universidade do Porto. (Foto: Tiago Martins/OERN)

Raul Moreira Vidal é licenciado em Engenharia Eletrotécnica pela FEUP (1972), tendo posteriormente desenvolvido os seus estudos em Manchester (Inglaterra), onde concluiu o Mestrado e o Doutoramento. Regressaria à FEUP como docente em 1982, tendo-se distinguido como um dos principais dinamizadores do processo de criação do Mestrado em Engenharia Eletrotécnica e Computadores (MEEC), em 1986, e da Licenciatura – atual Mestrado Integrado – em Engenharia Informática e Computação, em 1994.  Membro Sénior do IEEE e da Ordem dos Engenheiros (Colégio de Engenharia Informática) e fundador do Grupo de I&D de Engenharia de Software da FEUP, que liderou até 2008, tem participado em vários projetos de I&D, nacionais e internacionais. Em 2009 ajudou a fundar a Strongstep, spin-off da Faculdade de Engenharia na área da melhoria de processos e da qualidade de software. Recentemente jubilado, dará a sua “Última Aula” na FEUP no próximo dia 28 de junho.

Finalmente, José Ferreira de Lemos é licenciado e doutorado em Engenharia Civil pela FEUP, onde foi diretor do Departamento de Engenharia Civil e presidente do Conselho Pedagógico. Tendo dedicado grande parte da sua vida profissional à área das obras hidráulicas, presidiu à Comissão Técnica Nacional de Gestão do Risco, integrou o Conselho Superior de Obras Públicas e Transportes e foi membro da Comissão Executiva  da Thematic Network EUCEET (European Civil Engineering Education and Training). Professor Catedrático aposentado da FEUP e Membro Conselheiro da Ordem dos Engenheiro, faz parte atuamente da Comissão Nacional Portuguesa das Grandes Barragens e da Comissão de Segurança de Barragens.

A homenagem aos docentes da U.Porto decorreu na Alfândega do Porto, no âmbito das comemorações do Dia Regional do Engenheiro 2017, promovidas pela Ordem dos Engenheiros da Região Norte (OERN).

“Universidade Júnior” 2017 promete ser a maior de sempre

Seg, 19/06/2017 - 10:13

Milhares de  jovens entre os 11 e os 17 anos de idade vão passar as suas férias de verão nas salas de aula e laboratórios da U.Porto. (Foto: Egidio Santos/U.Porto)

A duas semanas do arranque de mais uma edição da “Universidade Júnior”, é praticamente certo que esta será a edição mais concorrida de todos os 13 anos de existência do programa pioneiro da Universidade do Porto que permite aos estudantes do ensino básico e secundário testar as suas vocações e experimentar o Ensino Superior durante as férias de verão.

Numa altura em que ainda se aceitam inscrições para completar turmas com vagas remanescentes, ascendem já a mais de 6600 as vagas ocupadas pelos jovens com idades compreendidas entre os 11 e os 17 anos – que vão este ano participar nas 176 atividades e projetos de investigação organizados por cerca de 200 professores, investigadores e estudantes das faculdades e centros de investigação da Universidade do Porto. A liderá-los estarão mais de 400 monitores, a maioria dos quais estudantes e recém-licenciados da U.Porto.

Além do programa geral, que vai decorrer de 3 a 28 de julho, a U.Jr propõe também cinco programas especialmente orientados para estudantes do ensino secundário com bons resultados escolares, cuja participação depende da apresentação de uma candidatura. As “Escolas de Introdução à Investigação” incluem programas nas áreas da Química e BioquímicaEngenharia, Física, Matemática e  Ciências da Vida e da Saúde (as candidaturas para as duas últimas estão ainda a decorrer até 30 de junho e 3 de julho, respetivamente), nos quais os estudantes são integrados em cenários reais de investigação , podendo desta forma contactar com técnicas e abordagens que de outro modo nunca teriam na escola.

A “Universidade Júnior” oferece atividades para todos os gostos, das ciências ao desporto, passando pelas artes ou as humanidades.

Entre as novidades deste ano, o grande destaque vai para a primeira edição da Escola do Mar (16 a 20 de julho), um programa de educação para o Mar que propõe aos participantes uma experiência única a bordo do Navio de Treino de Mar Creoula. Aí, terão a possibilidade de contactar com o mar, experienciar a vida a bordo, desenvolver conhecimentos técnicos, científicos e culturais relacionados com o mar.

Resultado do esforço conjunto de todas as faculdades e vários centros de investigação da U.Porto, a “Universidade Júnior” vai estender-se ainda a 15 outras instituições parceiras – entre as quais o Museu do FC Porto, o Museu da Misericórdia do Porto, o Parque Biológico de Gaia, o Visionarium de Santa Maria da Feira ou o Centro de Ciência Viva de Vila do Conde –, que desta forma alargam a iniciativa a toda a região.

O programa está estruturado em torno de três níveis de complexidade das atividades, de acordo com a faixa etária de cada participante.

Na verdade, a “Universidade Júnior” encontra-se já aberta a todo o país, facto comprovado pela circunstância de mais 1300 dos participantes terem optado por usufruir do programa de alojamento preparado pela Universidade do Porto no quartel da Escola Prática de Transmissões para os jovens que, pela distância da sua habitação, não podem fazer as deslocações diárias até ao Porto.

Mas a “Universidade Júnior” estende-se cada vez mais além-fronteiras, como é comprovado pelos “juniores” de várias nacionalidades (Bélgica, Brasil, Espanha, EUA, Macau, Perú, Polónia, Suíça, entre outras)  que vão marcar presença nas atividades deste ano. A estes juntam-se ainda os quatro jovens galegos que vão participar nesta edição ao abrigo do programa de intercâmbio estabeleicdo no ano passado entre a U.Porto e a  Universidade de Santiago de Compostela (Espanha). Uma parceria que, em sentido contrário, permitirá a ida de quatro jovens portugueses a Espanha, onde irão particpar no Campus de Verán Xuvenciencia.

Este é o 13.º ano consecutivo em que a Universidade do Porto abre as suas salas de aula e laboratórios aos jovens estudantes do 5.º ao 11.º ano de escolaridade, permitindo que durante as férias de verão conheçam por dentro a realidade do ensino superior.

Desde 2005, mais de 50.000 jovens de todo o país e vários continentes passaram já pela “Universidade Júnior”, participando em centenas de atividades e projetos de investigação em áreas tão diversas como as ciências, as tecnologias, as humanidades, as artes ou o desporto.

Mais informações e candidaturas em https://universidadejunior.up.pt/.

Erasmus da U.Porto juntam-se às celebrações do São João

Seg, 19/06/2017 - 01:45

É a grande festa popular do Porto e, este ano, vai contar com uma participação muito especial. Preparem-se as sardinhas, o vinho, as fêveras e o caldo verde. É já na noite de 23 de junho que os estudantes de todo o mundo que estão na Universidade do Porto a cumprir um período de mobilidade se vão juntar numa Sardinhada típica de São João, numa iniciativa integrada nas comemorações dos 30 anos do programa Erasmus.

Organizado pela Eramus Student Network – Porto (ESN-Porto), o evento tem início às 18h30, no Centro de Reflexão e Encontro Universitário – Inácio de Loyola (Creu-IL). Para além de desfrutarem do ambiente real da noite sanjoanina, os participantes poderão conhecer melhor o trabalho d’ O Grão, uma associação que prepara jovens universitários para a realização de missões de voluntariado em África.

Munidos dos indispensáveis martelos e alhos-porro, os estudantes terão ainda a oportunidade de lançar para os céus do Porto os inconfundíveis balões de São João, naquela que é uma das mais populares tradições da “noite mais longa” do Porto.

Apesar de ter como convidados especiais os estudantes Erasmus, a sardinhada é aberta a todos os interessados. O bilhete custa 3,5 euros, se comprado antecipadamente no gabinete da ESN-Porto. No dia do evento, o bilhete pode ser adquirido por 4 euros.

A receita servirá para apoiar as atividades d’O Grão.

Mais informações aqui.

João Mortágua apresenta novo trabalho discográfico na FEUP

Seg, 19/06/2017 - 00:50

O acesso ao concerto é gratuito (foto: Pixabay / Creative Commons)

É já esta segunda-feira, 19 de junho, pelas 21h30, que se realiza, no Auditório da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP), o concerto de lançamento de “AXES”, novo trabalho discográfico assinado por João Mortágua.

Promovido pelo Comissariado Cultural da FEUP e pela Associação Porta-Jazz, este concerto está integrado no Ciclo “FEUP lança Porta-Jazz” 2017. Para além de João Mortágua, no saxofone alto e soprano, subirão ao palco os músicos José Soares (saxofone alto), Hugo Ciríaco (saxofone tenor), Rui Teixeira (saxofone barítono e clarinete baixo) e ainda com Pedro Vasconcelos e Alex Lázaro (bateria e percussões).

Neste evento será também lançado o terceiro disco de João Mortágua, resultante de uma parceria entre a Porta-Jazz e o Guimarães-Jazz, que consistiu numa residência artística realizada em Guimarães a partir de dois vetores: o convite de músicos portugueses a jovens emergentes no panorama europeu, e a interação com outra área artística. Essa semana de trabalho culminou com a apresentação de um espetáculo integrado na programação do festival. João Mortágua liderou a edição 2016 e juntamente com Ricardo Formoso (trompete), Virxilio da Silva (guitarra), Felix Barth (baixo) e Iago Fernandez (bateria), e o artista plástico Hernani Reis Baptista, conceberam Mirrors. O espetáculo foi registado em áudio e vídeo, e será agora lançado pelo Carimbo Porta-Jazz.

O acesso é gratuito (sujeito à lotação da sala) mediante levantamento antecipado de bilhete no Infodesk/FEUP (segunda a sexta, das 9h30 às 13h e das 14h às 17h30), ou na bilheteira do Auditório da FEUP (abertura da bilheteira uma hora antes do espetáculo).

Mais informações atavés do e-mail: ccultur@fe.up.pt

Estudante da FMUP vence Prémio Daniel Serrão 2017

Dom, 18/06/2017 - 10:00

Aos 23 anos, Bernardo Sousa Pinto é estudante de doutoramento e professor da FMUP, e investigador do CINTESIS. (Foto: FR)

O médico Bernardo Sousa Pinto, estudante de doutoramento e professor da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (FMUP) e investigador do Centro de Investigação em Tecnologias e Serviços de Saúde (CINTESIS), é o vencedor da edição deste ano do Prémio Daniel Serrão, galardão atribuído pela Secção Regional do Norte da Ordem dos Médicos ao aluno que terminou o Mestrado Integrado de Medicina no ano letivo de 2015/2016 com a melhor média final nas três escolas médicas do Norte do País (FMUP, ICBAS e Universidade do Minho).

Instituída em 2002 e com um valor pecuniário de 1250 euros, a distinção foi entregue este domingo, durante as comemorações do Dia do Médico, promovidas pela SRNOM. Em entrevista à NorteMédico, Bernardo Sousa Pinto mostrou-se honrado por “receber um prémio com o nome de um vulto tão importante na história recente da medicina portuguesa”.

“O Professor Daniel Serrão foi uma figura incontornável tanto na área da anatomia patológica como da bioética”, frisa o médico, estudante e investigador,

Nascido no Porto há 23 anos, Bernardo Sousa Pinto entrou no Mestrado Integrado em Medicina da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (FMUP)  2010, com média de 18,8 valores e uma ideia fixa em mente: fazer investigação relacionada com a saúde. Um registo de excelência que manteve durante todo curso – concluído em 2015/2016 com a média de 18 valores – e que, já este ano, lhe valeu o Prémio Maxdata Excelência em Medicina.

A frequentar o primeiro ano do Programa Doutoral em Investigação Clínica e em Serviços de Saúde (PDICSS), desenvolvido pela FMUP, com o apoio do CINTESIS, Bernardo é hoje um dos mais promissores investigadores em saúde daquela que é a segunda maior Unidade de Investigação sediada na U.Porto. Além disso, dá aulas de Imunologia, de Bioestatística e de Introdução à Investigação no Departamento em Medicina da Comunidade, Informação e Decisão em Saúde (MEDCIDS) da FMUP.

U.Porto acolhe reunião de especialistas em envelhecimento ativo e saudável

Sáb, 17/06/2017 - 18:20

Elísio Costa, coordenador do Porto4Ageing e professor da FFUP, será o representante a U.Porto nesta reunião.

A Universidade do Porto vai acolher pela primeira vez a reunião de um dos Grupos de Ação da União Europeia na área do Envelhecimento Ativo e Saudável. Através do Porto4Ageing – centro de excelência coordenado e promovido pela Universidade e a Câmara Municipal do Porto –, a Reitoria da U.Porto vai receber no dia 23 de junho especialistas de toda a Europa que compõem este Grupo de Ação dedicado à Adesão Terapêutica.

Face ao aumento da esperança média de vida e ao crescente envelhecimento da população, a União Europeia colocou o envelhecimento ativo e saudável nas linhas de investigação científica prioritárias da União Europeia, criando a European Innovation Partnership in Active and Healthy Ageing como forma de fomentar o desenvolvimento de novos serviços e estruturas para este setor.

Foi no âmbito desta iniciativa que o Porto4Ageing candidatou – e alcançou – a classificação da Área Metropolitana do Porto como um dos 74 Sítios de Referência em Envelhecimento Ativo e Saudável da União Europeia.

Para lidar com esta realidade foram criados seis grupos de ação dedicados a questões específicas como a prevenção de quedas, a fragilidade e o declínio funcional, cuidados integrados, soluções de vida independente e ambientes amigos dos idosos. A adesão a medicamentos e a planos terapêuticos determinados por médicos é precisamente o primeiro destes grupos de ação, por ser considerado como uma condição básica para o envelhecimento ativo e saudável.

São os líderes deste grupo de ação que se vão reunir na Reitoria da Universidade do Porto para discutir os meios e recursos necessários para atingir os objetivos do grupo – melhorar a qualidade de vida e os resultados de saúde de pessoas idosas que vivem com condições crónicas em pelo menos 30 regiões da União Europeia – e demonstrar e definir as realizações atuais e futuras nesta área.

A reunião será, por isso, dedicada à apresentação de boas práticas e histórias de sucesso em todas as regiões participantes, assim como à definição de formas de colaboração e de atividades científicas conjuntas. O Porto será representado por Elísio Costa, coordenador do Porto4Ageing e professor da Faculdade de Farmácia da Universidade do Porto.

Páginas

Logo FEUP
Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto
Serviço de Documentação e Informação - Biblioteca
Rua Dr. Roberto Frias
4200-465 PORTO
Tel: +351 22 508 1442
biblioteca@fe.up.pt