Está aqui :

Está aqui

menu

Noticias UP

Subscribe to feed Noticias UP
Portal de Notícias da Universidade do Porto
Actualizado: há 23 minutos 26 segundos atrás

Bollywood ao vivo na FEUP

4 horas 4 minutos atrás

O musical indiano é inspirado no romance de Herman Hesse (foto: D.R.)

Gostava de assistir ao vivo a um espetáculo de Bollywood? Então saiba que muito brevemente terá essa oportunidade, sem que tenha de sair de Portugal ou mesmo da cidade do Porto! Chama-se  “Siddhartha”, consiste num musical indiano inspirado na obra incontornável de Herman Hesse e acontece no dia 2 de novembro, às 21h00, no Auditório da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP).

Promovido pela Embaixada da Índia em Portugal, por ocasião do 70.º aniversário da Independência da Índia, ‘Siddhartha’ conta a história de um jovem brâmane que procura a autorrealização, abandonando a casa dos seus pais para levar uma vida de asceta (desenvolvimento espiritual). No entanto, a personagem principal percebe que este caminho  não o faz sentir-se realizado. Entra então por altos e baixos de prazeres sensuais, contacto com dinheiro e com o vício do jogo até que, às portas do desespero, encontra finalmente a paz na margem de um rio, onde um velho barqueiro lhe ensina o significado da vida. O barqueiro pede a Siddhartha que escute o rio e que procure dentro de si um significado para o que rio lhe diz.

Hermann Hesse publicou Siddhartha em 1922, mas foi no início dos anos 70 que a obra surtiu uma verdadeira onda de recetividade, levando toda uma geração de jovens numa viagem espiritual em busca de um significado mais profundo para a vida.

Contando com a poesia Odia de Devdas Chhotray, música de Annada Prasanna Pattanaik e Sachidananda Das e ainda com a coreografia de Ileana Citaristi, o espetáculo tem entrada gratuita.

Mais informações disponíveis aqui.

Campeonato e Taça de Futsal de Funcionários está de volta

Dom, 22/10/2017 - 11:30

CDUP-UP organiza Campeonato e Taça de Futsal de Funcionários da U.Porto.

Após o sucesso do ano passado, o Centro de Desporto da Universidade do Porto (CDUP-UP) volta a organizar, no Estádio Universitário, o Campeonato e Taça de Futsal de Funcionários da Universidade do Porto.

As inscrições estão abertas até dia 27 de novembro e este ano com uma novidade. As equipas podem optar por uma inscrição normal (90€/equipa de 10 elementos) ou por uma inscrição com direito a equipamento de jogo (200€/equipa de 10 elementos).

O Campeonato tem início a 5 de dezembro e realiza-se num sistema de liga a uma volta, seguido de playoff. O CDUP-UP prevê a realização de 10 jogos por equipa, que terão lugar às terças-feiras, às 21h00, 22h00 e 23h00. A Taça irá decorrer posteriormente num sistema de eliminatórias.

Para efetuar a sua inscrição deve preencher o seguinte formulário. Poderá acompanhar o sorteio em direto, no dia 29 de novembro, no Facebook do Desporto U.Porto.

O atual campeão do Torneio de Funcionários é a equipa FEUPSal e o detentor da Taça é a FPCEUP.

Mais informações através do email eventos@cdup.up.pt.

Monstros do Halloween “invadem” a Reitoria da U.Porto

Sáb, 21/10/2017 - 11:30

A Reitoria da U.Porto transforma-se numa casa assombrada na tarde de sábado, dia 28 de outubro (Foto: U.Porto)

A noite mais temida do ano está a chegar. De 31 de outubro para 1 de novembro, assinala-se o Halloween, uma festa que nasce do “All Hallows Eve“, baseada numa tradição celta com mais de dois mil anos, que celebrava o fim do verão. Conhecida como uma das principais celebrações nos Estados Unidos, a noite de Halloween tem cada vez mais adesão em Portugal. A pensar nos mais jovens, a Unidade de Cultura da Reitoria da U.Porto tem preparado um programa de “oficinas arrepiantes”, no dia 28 de outubro, entre as 15h00 e as 19h00.

A “Caça aos Monstos” na Reitoria da Universidade do Porto destina-se a crianças entre os 4 e os 12 anos, acompanhadas por adultos. A festa começa com as “Histórias de ARREPIAR que sabem cantar!” e, durante a tarde, há momentos de brincadeira para todos. No Castelo Assombrado em direção à Caverna das Bruxas e Vampiros, virando à direita na esquina da Toca das Aranhas até ao Laboratório dos Zombies e percorrendo os corredores até ao Esconderijo da Múmia, os pequenos caçadores de monstros vão poder dar largas à sua imaginação ao longo da tarde, nas diversas oficinas de expressão plástica e ciência.

Os interessados nas oficinas de Halloween devem inscrever-se antecipadamente. A participação de cada criança tem um valor de 8 euros, se for antecipada (com 10% de desconto para membros da U.Porto) e o preço inclui a participação da criança e do(s) adulto(s) que a acompanha(m), sendo a presença de pelo menos um adulto por criança obrigatória. Caso seja inscrita no próprio dia, terá um custo fixo de 10 euros (desconto de membro U.Porto, não aplicável).

Mais informações disponíveis através do e-mail cultura@reit.up.pt.

 

Projeto da FCUP quer reciclar resíduos agroalimentares em produtos cosméticos

Sex, 20/10/2017 - 18:16

As antocianinas, o composto bioativo responsável pela cor do vinho tinto e frutos vermelhos, pode ser utilizada na produção de cosméticos de cuidados da pele.

E se o seu próximo creme para a pele tiver sido criado a partir da reciclagem de resíduos não aproveitados pela indústria agroalimentar? Este é o objetivo do projeto de investigação ANTHO4SKIN, financiado pela Fundação para a Ciência e Tecnologia e coordenado por Nuno Mateus, do Departamento de Química e Bioquímica da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto.

O projeto pretende provar a viabilidade do aproveitamento das antocianinas – o composto bioativo responsável, por exemplo, pela cor vermelha do vinho tinto e dos frutos vermelhos – presentes em muitos subprodutos da indústria alimentar para a produção de cosméticos de cuidados da pele.

Sabe-se já que as antocianinas têm propriedades antioxidantes, estando o seu o seu consumo associado a benefícios para a saúde. O projeto liderado por Nuno Mateus pretende usar as antocianinas nas suas formas nativas (com cor vermelha) ou transformando-as quimicamente em derivados mais estáveis com outras cores atraentes (laranja, azul) e torná-los mais solúveis em ambientes com menos teor em água, aproveitando as suas propriedades e as suas características cromáticas para as incorporar em formulações cosméticas.

Por outro lado, este projeto tem a particularidade de introduzir uma nova abordagem de ensaios laboratoriais em produtos cosméticos, que tornam desnecessário a utilização de modelos animais. Os testes estão a ser conduzidos em modelos de pele humana monitorizados por um sistema elétrico não-invasivo – ECIS (Electric Cell-substrate Impedance Sensing) –, permitindo de um modo contínuo e em tempo real observar alguns efeitos como a preservação e regeneração celular da pele.

A ambição do ANTHO4SKIN é realizar o rastreio de um grande número de compostos e extratos naturais recuperados de subprodutos industriais, introduzindo-lhes valor acrescentado para novas aplicações, contribuindo deste modo para uma economia circular.

Engenheiros Eletrotécnicos FEUP celebram 45 anos de formatura

Sex, 20/10/2017 - 16:45

Raul Vidal, docente jubilado da FEUP, é um dos engenheiros da colheita de 1972 (Foto: Rodrigo Gatinho)

Não há dúvidas que a passagem do mundo académico para o mercado de trabalho constitui um marco que fica para toda a vida. Qualquer recém-graduado recorda com carinho o dia em que se despede da sua alma mater e começa a enfrentar o contexto profissional juntamente com os seus colegas de curso.

E se esse momento inesquecível tiver sido há 45 anos? Quantas mais histórias e peripécias terão para recordar? No próximo dia 28 de outubro realiza-se um encontro com os antigos estudantes do curso de Eletrotécnica formados em 1972, pela Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP), no qual os participantes irão partilhar curiosidades, experiências e vivências que aconteceram ao longo de 45 anos de amizade e de atividade profissional.

A aventura tem início marcado para as 9h30 na FEUP. O grupo ruma depois ao Douro, onde as comemorações envolvem um passeio de autocarro, viagem de barco e visita à Quinta da Roêda, no Douro. O programa reservado à “colheita de 72” pode ser consultado aqui.

Os encontros alumni são um importante mecanismo para manter vivo o espírito FEUP e a ligação à Faculdade que, por muitos anos que passem, será sempre a sua casa.

Para mais informações sobre este e outros encontros aceder aqui.

Jose Ignacio Linazasoro é o orador da Conferência Marques da Silva 2017

Sex, 20/10/2017 - 13:59

Jose Ignacio Linazasoro (Foto: DR)

Jose Ignacio Linazasoro, conceituado arquiteto espanhol e professor catedrático da Escuela Técnica Superior de Arquitectura di Madrid, é o orador convidado da edição de 2017 das Conferências Arquiteto Marques da Silva.

A decorrer no dia 26 de outubro, às 18h30, no Auditório Fernando Távora da Faculdade de Arquitetura da Universidade do Porto (FAUP), a conferência é de entrada livre, apenas sujeita à lotação da sala.

Considerado como um dos mais prestigiados arquitetos espanhóis da sua geração, Jose Ignacio Linazasoro propõem-se apresentar nesta conferência alguns dos seus projetos mais significativos, em contraponto com o suporte teórico que sustenta a sua trajetória de arquiteto.

“Considero que a minha trajetória como arquiteto se fundamenta também num pensamento teórico estreitamente vinculado aos meus projetos”, revela o próprio na sinopse da conferência, explicando que “A relação entre arquitetura e cidade e permanências constitui o suporte teórico de toda a minha trajetória. A partir desse ponto de vista, referir-me-ei a alguns dos meus projetos mais significativos, mais ou menos recentes, mas que melhor se relacionam entre si e com as formulações teóricas a que aludi”.

Jose Ignacio Linazasoro obteve reconhecimento internacional com obras como as habitações em Mendigorría (Navarra, 1980), o Restauro da Igreja de Santa Cruz de Medina de Rioseco (Valladolid, 1988), a Biblioteca da UNED (Madrid, 1993), o Convento de Santa Teresa (San Sebastián, 1991), a Reabilitação do Hospital del Rey (Melilla, 1996), a Reabilitação da Igreja de San Lorenzo (Madrid, 2001), 0 Centro Cultural Escuelas Pías de Lavapiés (Madrid, 2004), o edifício Urban Galindo (Baracaldo, 2007), remodelação da Praça e enquadramento da Catedral de Reims (2008), ou mais recentemente, a Praça dos Amantes (Teruel, 2014)  ou a Ampliação do Edifício do Conselho do Departamento e Centro de Congressos em Troyes (2014).

Juntamente com Rodrigo Sánchez, é um dos membros fundadores da sociedade Linazasoro&Sánchez Arquitectura SLP, sedeada em Madrid, mas também um académico prolífero, autor de livros de referência na arquitetura contemporânea, como “La memoria del orden. Paradojas del sentido de la arquitectura moderna” ou “Evocando La Ruina: Sombras Y Texturas“.

As Conferências Arquiteto José Marques da Silva, organizadas pela Fundação Marques da Silva, são de periodicidade anual e contam com o apoio da Faculdade de Arquitetura da Universidade do Porto e da Ordem dos Arquitetos – Secção Regional do Norte. Esta iniciativa está integrada no programa do Mês da Arquitetura.

A apresentação do conferencista nesta edição estará a cargo de Madalena Pinto da Silva, professora da Faculdade de Arquitetura da U.Porto.

Crianças com ganho persistente de peso têm melhor qualidade óssea

Sex, 20/10/2017 - 10:00

O estudo, publicado na revista “Journal of Pediatrics”, concluiu que as crianças com uma trajetória de crescimento caracterizada por “ganho persistente de peso” apresentavam um osso mais forte.

O aumento persistente de peso desde o nascimento até aos 7 anos de idade associou-se com uma melhor qualidade do osso das crianças, conclui um estudo desenvolvido por investigadores da Unidade de Investigação em Epidemiologia (EPIUnit) do Instituto de Saúde Pública da Universidade do Porto (ISPUP).

“A qualidade óssea é, em grande parte, conservada desde as primeiras décadas de vida. Por isso, a infância é hoje encarada como um período de oportunidade para intervir em fatores modificáveis que possam promover melhor saúde óssea, com a finalidade de prevenir fraturas de fragilidade (osteoporóticas) na vida adulta”, diz Teresa Monjardino, primeira autora do estudo, coordenado pela investigadora Raquel Lucas.

A investigadora Teresa Monjardino, primeira autora do estudo, afirma que os resultados do estudo apoiam uma abordagem de ciclo de vida à saúde óssea e às políticas de saúde para a sua promoção.

Contudo, pouco se sabe sobre o impacto das trajetórias do peso da criança ao longo do crescimento na qualidade do osso durante os primeiros 10 anos de vida. Por isso, a presente investigação estudou a influência da evolução do peso de 1889 crianças da coorte Geração XXI –  projeto iniciado em 2005, que acompanha o crescimento e o desenvolvimento de mais de oito mil crianças nascidas em hospitais públicos da Área Metropolitana do Porto – nas propriedades físicas do osso aos 7 anos de idade. As crianças foram avaliadas através de densitometria óssea, sendo extraídos dados sobre a sua densidade mineral óssea.

Os investigadores identificaram quatro trajetórias designadas “ganho normal de peso”, “maior ganho de peso no início da infância”, “maior ganho de peso mais tarde na infância” e “ganho persistente de peso”.

Concluiu-se que as crianças com uma trajetória de crescimento caracterizada por “ganho persistente de peso” apresentavam um osso mais forte aos 7 anos de idade. “Não é novidade que as crianças que têm mais peso num determinado momento necessitam de mais massa óssea para responderem às exigências mecânicas. O que este estudo acrescenta é que, para além do peso numa determinada idade, também a trajetória de crescimento até atingir esse peso é determinante das propriedades do osso na infância. Estes achados indicam que é possível observar diferenças na qualidade do osso logo desde a infância, e apoiam uma abordagem de ciclo de vida à saúde óssea e às políticas de saúde para a sua promoção”.

A investigação, publicada na revista “Journal of Pediatrics”, intitula-se “Weight Trajectories from Birth and Bone Mineralization at 7 Years of Age” e foi também assinada por Ana Cristina Santos e por Teresa Rodrigues, da EPIUnit do ISPUP, e por Hazel Inskip, Nicholas Harvey e Cyrus Cooper da Universidade de Southampton (Reino Unido).

Faculdade de Ciências vai criar um Observatório de Paisagem

Qui, 19/10/2017 - 19:39

FCUP assinala, a 20 de outubro, o primeiro Dia Internacional da Paisagem.

A propósito do dia 20 de outubro, Dia Internacional da Paisagem do Conselho da Europa, a Faculdade de Ciências da Universidade do Porto (FCUP), tendo como missão a “criação, transmissão e difusão da ciência, da tecnologia e da cultura”, anuncia a criação do Observatório de Paisagem da FCUP.

Este Observatório de Paisagem é concebido como um centro de pensamento, reflexão e ação em relação à paisagem. O seu propósito é estudar a paisagem, desenvolver instrumentos para a sua monitorização, preparar propostas e sensibilizar a sociedade para uma melhor proteção, gestão e planeamento da paisagem no contexto do desenvolvimento sustentável. O Conselho Executivo deste novo Observatório será constituído por Maria José Curado, Teresa Portela Marques e Carla Gonçalves, docentes de Arquitetura Paisagista, do Departamento de Geociênias, Ambiente e Ordenamento do Território da FCUP.

Este será o primeiro ano que se assinala o Dia Internacional da Paisagem, recentemente instituído pelo Conselho da Europa com o objetivo de celebrar a paisagem como “componente essencial do ambiente humano, uma expressão da diversidade do seu património comum cultural e natural e base da sua identidade”, um reconhecimento jurídico assumido por Portugal em 2005 e por todos os países que ratificaram a Convenção Europeia da Paisagem.

A par do anúncio da criação do Observatório da Paisagem, a FCUP vai assinalar a data promovendo, com o apoio da Associação Portuguesa dos Arquitectos Paisagistas, um conjunto de palestras que visam apresentar estudos e projetos ordenadores e construtores de paisagem, realizados por docentes da Faculdade, na sua maioria no âmbito da prestação de serviços da FCUP, a entidades públicas. Da escala do Plano Diretor Municipal, até à escala do parque, passando pela criação de infraestruturas verdes urbanas e por projetos de intervenção em paisagens culturais, serão vários os exemplos a debater durante a tarde do dia 20 de outubro.

A sessão terá início às 14h30, no anfiteatro 2 de FC06, e serão feitas as apresentações sobre o Plano Diretor Municipal do Porto, o Plano Verde de Arcos de Valdevez, o Parque Central da Asprela, a Requalificação das Margens do Tâmega e a Requalificação do Parque de La Salette, respectivamente por Carla Gonçalves, Gonçalo Andrade, José Miguel Lameiras, Luís Guedes de Carvalho e Nuno Costa, arquitectos paisagistas e docentes nos cursos de Arquitectura Paisagista da FCUP.

Orquestra de Tangos da AAOUP celebra 80.º aniversário com concerto aberto à comunidade

Qui, 19/10/2017 - 18:32

No dia 21 de outubro, sábado, a Orquestra de Tangos da Associação de Antigos Orfeonistas da Universidade do Porto (AAOUP) vai realizar um concerto comemorativo dos seus 80 anos de existência.

A decorrer na na Secção Regional do Norte da Ordem dos Médicos, a partir das 21 horas, este espetáculo celebra a estreia da Orquestra Universitária de Tangos no sarau de 13 de abril de 1937 no Teatro Rivoli para comemoração do centenário da Academia Politécnica e da Escola Médico-Cirúrgica do Porto.

Antes do concerto será apresentado o novo disco da Orquestra de Tangos da AAOUP que revisita o seu percurso de 80 anos de temas emblemáticos. A noite terminará com um símbolo maior da academia portuense, o célebre tango “Amores de Estudante”, composto pelo Eng.º Paulo Pombo e pelo médico Prof. Aureliano da Fonseca.

Recorde-se que a própria Associação de Antigos Orfeonistas da Universidade do Porto celebra este ano o seu 50.º aniversário, efeméride assinalada com a exposição “1967-2017 Associação dos Antigos Orfeonistas da Universidade do Porto: Exposição Histórica”, patente ao público até 28 de outubro de 2017 no edifício da Reitoria da U.Porto.

O Concerto Comemorativo dos 80 Anos da Orquestra de Tangos é gratuito, mediante requisição prévia de convite através do email aaoup@aaoup.up.pt (lugares limitados à lotação da sala).

FMUP debate o presente e o futuro da investigação científica

Qui, 19/10/2017 - 16:46

O 6.º Encontro de Doutorados da FMUP vai realizar-se no dia 25 de outubro de 2017.

O papel do doutoramento no desenvolvimento da carreira e o futuro da investigação científica são os temas centrais do 6.º Encontro de Doutorandos da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (FMUP). A iniciativa –promovida pelo departamento de Apoio à Investigação e Pós-Graduação, em parceria com o programa doutoral em Medicina – destina-se não só aos estudantes da FMUP mas também, a todos aqueles que consideram seguir o caminho da investigação.

Para debater a temática, o evento contará com intervenções de Alexandre Quintanilha, Professor Catedrático Jubilado da U.Porto, Pedro Teixeira, vice-reitor da Universidade do Porto para a Formação e Organização Académica, e Óscar Ribeiro, investigador do Cintesis e docente da Universidade de Aveiro. Na iniciativa marcarão igualmente presença de Maria Amélia Ferreira, diretora da FMUP, e de Agostinho Marques, diretor do programa doutoral em Medicina.

“O encontro pretende ajudar jovens investigadores a pensar a ciência de uma forma mais abrangente”, explica Raquel Soares, diretora do departamento de Apoio à Investigação e Pós-Graduação. “Frequentemente os estudantes têm de conciliar o doutoramento com a sua atividade profissional e a troca de experiências, seja com outros alunos ou com docentes, ajuda nesse processo de adaptação” acrescenta a docente da FMUP.

Centro de Investigação Médica da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto.

O 6.º Encontro de Doutorandos decorrerá no dia 25 de outubro, quarta-feira, no Centro de Investigação Médica da FMUP. Recorde-se que a Faculdade de Medicina da Universidade do Porto oferece mais de 50 formações de pós-graduação – mestrados, doutoramentos e formações especializadas – que representam um universo de cerca de 1600 estudantes.

Os interessados em participar na iniciativa podem proceder à inscrição aqui.

Projeto Nutriciência premiado pelo Food & Nutrition Awards

Qui, 19/10/2017 - 14:30

José Azevedo, coordenador do projeto Nutriciciência, recebeu o galardão na cerimónia de entrega de prémios do Food & Nutrition Awards.

O projeto da Universidade do Porto Nutriciência: jogar, cozinhar, aprender foi o grande vencedor do Prémio Educação Alimentar da 8.ª edição do Food & Nutrition Awards.

A distinção foi atribuída no dia 16 de outubro, data em que se celebra o Dia Mundial da Alimentação, no Mercado da Ribeira, em Lisboa. Na cerimónia, em representação do “Nutriciência”, esteve o docente e investigador José Azevedo, coordenador deste projeto desenvolvido pelas faculdades de Letras, de Ciências da Nutrição e Alimentação e de Engenharia da Universidade do Porto.

O “Nutriciência: Jogar, Cozinhar e Aprender” foi um projeto de investigação financiado pelo Programa EEA Grants que conta ainda com o apoio do Serviço Nacional de Saúde e Programa Iniciativas de Saúde Pública. Teve como parceiros a União das Misericórdias Portuguesas, a Santa Casa da Misericórdia do Porto, a RTP e a Universidade de Oslo e visou avaliar o impacto de uma intervenção web-based na literacia nutricional em famílias de crianças em idade pré-escolar, através de uma dinâmica de gamificação, que envolveu crianças dos 3 aos 5 anos, bem como com as respetivas famílias e educadores. Envolveu diretamente cerca de 2500 crianças e 2000 famílias.

O Food & Nutrition Awards distingue anualmente iniciativas de inovação no setor agroalimentar, nas áreas da Educação e de Saúde, “sendo um motor para o empreendedorismo, valorização da produção nacional e promoção de estilos de vida e hábitos alimentares saudáveis”, como indica a página da organização.

Para além do prémio para a Universidade do Porto na categoria de Educação Alimentar, foram ainda entregues prémios nas categorias de Investigação e Desenvolvimento, de Produto Inovação e de Sustentabilidade Alimentar. Os vencedores destacaram-se de um total de 33 finalistas, eleitos entre mais de 80 candidaturas submetidas.

FADEUP é a melhor instituição nacional de Ciências do Desporto

Qui, 19/10/2017 - 13:36

A Faculdade de Desporto da Universidade do Porto (FADEUP) destaca-se mais uma vez como a melhor instituição em Portugal no ShanghaiRanking’s Global Ranking of Sport Science Schools and Departments 2017, um dos mais importantes e reputados rankings internacionais do Ensino Superior.

Este ranking dedicado ao Desporto foi publicado pela primeira vez em 2016 e se apresenta como “a primeira tentativa de classificar um grupo de instituições e unidades ligadas à mesma área do conhecimento”. Para o efeito foi realizado um estudo aprofundado que incidiu sobre o desempenho académico e científico de milhares de escolas, faculdades e departamentos com ligações à área desportiva (Ciência do Desporto, Fisiologia, Neurociências e Neurologia, Psicologia e Nutrição e Dietética) em todo o mundo.

Foram analisadas 367 Universidades de Desporto ou cerca de 400 unidades relacionadas com a área do desporto, ativamente envolvidas em pesquisa cientifica nos últimos 5 anos e a avaliação baseou-se em publicações, citações, citações por publicação, publicações em jornais/revistas de alto impacto e publicações  com colaborações internacionais.

Igualmente digna de destaque e fruto do árduo trabalho desenvolvido nesta Instituição é a 31.ª posição a nível mundial, 14.ª posição a nível europeu e 2.ª posição no espaço Lusófono e Latino Americano, colocando-a claramente na elite do ensino superior nesta área.

Inscrições abertas para Projeto Teatral da FEUP 2018

Qui, 19/10/2017 - 11:30

Foto: © Susana Neves “Erro 404 – Título não encontrado” (Projeto Teatral da FEUP 2017)

Estão abertas as inscrições para o Projeto Teatral da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP) 2018, uma iniciativa do Comissariado Cultural da FEUP que pretende explorar os universos criativos dos participantes e trabalhar as dinâmicas de grupo.

Dirigido pela dupla de encenadores Cátia Pinheiro e José Nunes, o projeto é aberto à participação de toda a comunidade da FEUP (estudantes, docentes, técnicos e investigadores) e pretende dar continuidade ao trabalho desenvolvido com José Carretas, Ricardo Alves, e, desde 2017, com Cátia Pinheiro e José Nunes. Através do recurso à prática de jogos teatrais, envolvendo o texto, o corpo, a voz, a improvisação oral e escrita, procurar-se-á explorar os universos criativos dos participantes e trabalhar as dinâmicas de grupo.

Ao funcionar como uma aproximação às técnicas teatrais, envolvendo a criação de personagem e a criação dramatúrgica, este projeto visa igualmente potenciar as capacidades de trabalho coletivo. Partindo das propostas apresentadas pelos encenadores e também dos materiais criativos desenvolvidos pelos participantes no decorrer do projeto será construído um espectáculo, que tem apresentação marcada para março de 2018, no Auditório da FEUP.

Os ensaios vão decorrer às segundas e quintas-feiras, das 21h00 às 23h30, na FEUP. Até ao dia 20 de novembro, os ensaios decorrem apenas às segundas-feiras.

Inscrições e mais informações através do e-mail ccultur@fe.up.pt. O número de inscrições é limitado.

FASTinov dá o salto para o UPTEC

Qui, 19/10/2017 - 09:30

Cidália Pina-Vaz, CEO da FASTinov.

A FASTinov, spin-off do CINTESIS – Centro de Investigação em Tecnologias e Serviços de Saúde, vai mudar-se de malas e bagagens para as instalações do UPTEC – Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto, inaugurando uma nova e promissora fase de crescimento e expansão para o mercado internacional.

Financiada em 2,6 milhões de euros pela Comissão Europeia, a FASTinov desenvolveu uma tecnologia disruptiva, já patenteada, para a realização de testes de suscetibilidade antimicrobiana (Flow Cytometry Antimicrobial Susceptibility Test), estando agora em condições de avançar para a validação do protótipo e para a produção a uma escala industrial.

Cidália Pina-Vaz, CEO da FASTinov, considera que a passagem da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (FMUP) para o UPTEC é um “passo fundamental” para o crescimento  da empresa, permitindo afirmar a sua independência e projetar uma nova imagem para o exterior, incluindo os seus potenciais clientes em todo o mundo.

A mudança de instalações já se iniciou e deverá estar concluída no início de novembro. Seis investigadores da FASTinov estarão em full time no novo espaço do UPTEC, que foi devidamente adaptado para o efeito. Alguns investigadores mantêm atividade de investigação no Serviço de Microbiologia da FMUP.

De acordo com a responsável e Investigadora Principal do Grupo de Investigação MicroMed – Medical Microbiology, do CINTESIS, a integração no UPTEC é essencial para que os inventores da tecnologia da FASTinov deixem de ser vistos apenas como académicos mas como alguém que pretende colocar um produto inovador no mercado.

Além disso, a deslocação para o UPTEC vai também permitir a aquisição de alguns equipamentos de grande porte necessários para iniciar a produção dos “kits” all-in-one, seguindo as recomendações estabelecidas pelo protocolo europeu EUCAST (no qual Cidália Pina-Vaz representa o nosso país) e pelo protocolo americano CLSI.

Espera-se que os novos testes de suscetibilidade, sendo mais rápidos, simples e fiáveis constituam um marco importante no combate às infeções bacterianas e ao grave problema das resistências aos antibióticos no contexto dos cuidados de saúde. Em apenas uma hora, será possível perceber se uma determinada bactéria é sensível ou resistente a um determinado fármaco, apoiando uma decisão clínica mais segura e eficaz. O produto deverá chegar ao mercado para comercialização em 2019.

Entretanto, a FASTinov está já a desenvolver novas linhas de investigação promissoras na área da saúde, com destaque para novos testes de suscetibilidade a fungos e a outros microrganismos de crescimento difícil.

A spin-off da U.Porto está também “com um pé” na Medicina Veterinária e continua fortemente apostada em inovar no ramo da Medicina personalizada com uma tecnologia inovadora de doseamento de antibióticos no sangue dos doentes, em especial doentes graves e idosos, o que permitirá reajustar e adequar as doses caso a caso e evitar concentrações subterapêuticas, responsáveis por toxicidade e por resistências.

Estudante da U.Porto é o novo Embaixador de Carreiras na União Europeia

Qua, 18/10/2017 - 20:00

Pedro Castro, o novo Embaixador EU Careers para Portugal.

Pedro Castro, estudante do mestrado integrado em Engenharia Eletrotécnica e de Computadores pela Faculdade de Engenharia da U.Porto, é o novo Embaixador European Union Careers para Portugal, com a missão de promover e divulgar as oportunidades de emprego nas instituições da União Europeia junto dos estudantes universitários portugueses.

Durante o atual ano letivo, é a Pedro Castro que caberá a responsabilidade de dar a conhecer aos estudantes portugueses as diversas oportunidades de carreira que existem nos organismos e agências comunitárias espalhados por toda a Europa e mesmo por todo o mundo.

Uma oportunidade que, nas suas próprias palavras, é simultaneamente um privilégio e um desafio: “Trabalhar num contexto internacional com pessoas de toda a Europa é um privilégio diário, mas também um desafio porque cada pessoa que ingressa nestas carreiras tem uma quota de responsabilidade de contribuir para o projeto Europeu e a sua afirmação no mundo actual”.

O novo Embaixador EU Careers tem já traçado um plano para fazer chegar estas oportunidades aos estudantes portugueses. Para Pedro Castro, é necessário “criar mais proximidade, criar momentos de contacto com os alunos, através apresentações e sessões de esclarecimento junto das várias Instituições de Ensino Superior e, localmente, em feiras de emprego e empreendedorismo por esse país fora”.

Proximidade parece ser a palavra chave do mandato de Pedro Castro, que pretende também “apostar numa forte comunicação via redes sociais e meios de comunicação social para fazer chegar esta informação ao maior número de pessoas possível”. Como o estudante da FEUP faz questão de realçar, estas carreiras estão ao alcance de qualquer cidadão europeu, mesmo aqueles que não possuem formação superior, constituindo uma oportunidade para “construir uma carreira profissional melhorando a vida de mais de 500 milhões de cidadãos europeus”.

Para conquistar um dos 120 postos de Embaixadores EU Careers deste ano, Pedro Castro foi submetido ao mesmo tipo de processo de seleção que são sujeitos os candidatos a carreiras na União Europeia. “Após convite da Equipa Reitoral da U.Porto, fui indicado ao Centro de Informação Europeia Jacques Delors,  sendo depois sujeito a um processo de seleção liderado pelo European Personnel Selection Office, o departamento responsável pelo recrutamento de pessoal para os órgãos da União Europeia”, explica. E mesmo após ser selecionado, Pedro Castro teve ainda de concluir com sucesso uma formação específica em Bruxelas sobre as funções e responsabilidades de ser Embaixador EU Careers”.

Apesar dos seus 24 anos de idade, esta não é, no entanto, a primeira vez que Pedro Castro assume funções de responsabilidade junto da comunidade estudantil da U.Porto. Durante o último ano letivo, assumiu a presidência da Associação de Estudantes da FEUP, ainda hoje é representante dos estudantes no Conselho de Ação Social da Universidade do Porto, membro da direção da Federação Académica do Porto e foi recentemente eleito vice-presidente da Federação Académica de Desporto Universitário.

Os interessados podem contatar com o Embaixador EU Careers para Portugal através da sua página oficial de Facebook ou do email eucareers.portugal@eu-careers.eu.

U.Porto domina concurso de ideias da Agência Nacional de Inovação

Qua, 18/10/2017 - 18:36

A equipa do i3s responsável pelo projeto “MyRNA Diagnostics”, que conquistou o primeiro prémio do BfK IDEAS 2017.

A Universidade do Porto conquistou os dois primeiros prémios do BfK IDEAS 2017, o concurso de ideias de negócio promovido pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, através da Agência Nacional de Inovação, para distinguir o que de melhor se faz em Portugal na valorização do conhecimento científico e tecnológico.

O primeiro prémio coube ao projeto MyRNA Diagnostics, um inovador kit para diagnosticar e melhorar a monotorização da depressão através de uma análise ao sangue. O kit está a ser desenvolvido por uma equipa do i3S, constituída por três investigadoras (Maria Inês Almeida, Susana Santos e Inês Alencastre) e dois elementos da Unidade de Transferência de Tecnologia do Instituto (Sofia Esteves e Bárbara Macedo) e resultou de uma colaboração entre o i3S e uma equipa de médicos psiquiatras da FMUP.

O diagnóstico da depressão é atualmente baseado em entrevistas clínicas e não existem testes complementares de diagnóstico, que possam ser aplicados como rotina na clínica. A equipa apresentou uma ideia de negócio baseada num kit de rápido diagnóstico que tem sido desenvolvida no âmbito de uma colaboração entre o grupo Microenvironments for New Therapies do i3S-INEB, liderado por Mário Barbosa, e uma equipa de médicos psiquiatras da FMUP, liderada por Rui Coelho. Este projeto é financiado pelo programa NORTE2020 e conta com a colaboração do Centro Hospitalar do Tâmega e Sousa.

“O diagnóstico da depressão é atualmente baseado em entrevistas clínicas. Os prestadores de cuidados de saúde mental sentem necessidade de utilização de métodos sensíveis e específicos para melhorar a percentagem de doentes com depressão (mais de 300 milhões em todo o mundo) que recebem tratamento eficaz (<50%)”, sublinha Inês Almeida, uma das investigadoras que integra a equipa do i3S.

O projeto MyRNA Diagnostics, adianta Susana Santos, outra das investigadoras do i3S, “deteta e quantifica um painel específico de biomarcadores moleculares numa amostra de sangue, o que permite um diagnóstico quantitativo e uma melhor monotorização da doença”.

“Os resultados do nosso produto são analisados por um algoritmo e serão fornecidos dentro de 24 a 48 horas após a colheita de sangue. A solução permite aos clínicos basear a suas decisões terapêuticas num teste biológico quantificável, diminuindo a prescrição excessiva, melhorando a precisão do diagnóstico e permitindo a monitorização da doença durante a terapêutica”, explica Inês Alencastre.

Para a equipa MyRNA Diagnostics, o facto de terem sido distinguidos com o primeiro prémio do BfK IDEAS 2017 significa um apoio crucial nesta fase do processo para fazer chegar este produto até ao mercado e até aos que mais precisam, que são os pacientes.

“Este prémio é um incentivo para continuarmos a trabalhar nesta ideia com toda a convicção de que faremos a diferença para os clínicos e para os doentes que sofrem de depressão”, resume Bárbara Macedo. Além disso, continua Sofia Esteves, “o primeiro prémio, para além de ser uma honra e uma excelente motivação para continuar, permitirá sem dúvida o arranque do projeto através dos serviços especializados de consultoria e propriedade intelectual”.

Francisco Galindo Rosales, co-criador do projeto “rhelNforce – Optimal Performance”, segundo classificado do concurso.

O segundo prémio do BfK IDEAS 2017 foi atribuído a um outro projeto da Universidade do Porto, o “rhelNforce – Optimal Performance”, desenvolvido na Faculdade de Engenharia (FEUP) pelos investigadores Francisco Galindo Rosales e Laura Campo Deaño.

Explicado de forma simples, este projeto é uma tecnologia que “permite modificar as propriedades amortecedoras de diferentes materiais (cortiça, silicone, etc.) mediante a adição de um fluido complexo”, explica Francisco Galindo Rosales. Estes fluidos são depois incorporados numa rede de canais muito pequenos (uma das suas dimensões é inferior a 1mm) e o compósito resultante garante “propriedades amortecedoras personalizadas e otimizadas para a situação em questão, seja ela um impacto súbito, situações de vibração ou de ruído”, acrescenta o investigador.

Para a equipa da Faculdade de Engenharia da U.Porto ter chegado à final do concurso já foi uma vitória. “Entendemos esta distinção como um sinal para avançar com ainda mais força no percurso até à consolidação desta ideia de negócio”, conclui Francisco Galindo Rosales.

Francisco Galindo Rosales conta que o principal objetivo agora é “aproveitar ao máximo o programa de aceleração” para que seja possível, nos próximos meses, consolidar a empresa formada pelos investigadores.

O programa de aceleração em ciência e tecnologia é um dos benefícios que os três primeiros classificados do concurso recebem, para além de um serviço de diagnóstico de Propriedade Industrial ao projeto, realizado com o apoio da Patentree – Intellectual Property . O primeiro classificado tem ainda acesso a serviços de consultoria especializada e depósito de um pedido provisório de patente nacional.

Pediatrias do Serviço Nacional de Saúde unidas em projeto com ADN FEUP

Qua, 18/10/2017 - 14:46

São centenas de desenhos os contidos na plataforma (grafismo: Emília Dias da Costa)

O pontapé de saída do Waves of Drawings, projeto nacional agregador de todas as Pediatrias do Serviço Nacional de Saúde (SNS), foi dado e coordenado pelo Centro Hospitalar de São João que, após ter organizado, em 2015, uma exposição de desenhos de 28 Serviços de Pediatria dos Estados-Membro da União Europeia (UE), decidiu organizar uma outra, desta vez com desenhos de todas as Pediatrias do SNS, apresentada no passado mês de setembro, à Presidente do Hospital ‘Bambino Gesù’, Mariella Enoc, em Roma. O Bambino Gesú, também conhecido como o ‘Hospital do Papa’, é um hospital pediátrico tutelado administrativamente pela Secretaria do Estado do Vaticano e é considerado um ponto de referência no tratamento de crianças não só de Roma como de toda a Itália.

Da ideia de agregar todos os desenhos surge então a criação de uma plataforma online, a Waves of Drawings, desenvolvida por sete estudantes da FEUP, cinco do Mestrado Integrado em Engenharia Informática e Computação e dois do Mestrado em Multimédia, que realizaram todo o trabalho em regime extra curricular. O grafismo da plataforma ficou a cargo da designer Emília Dias da Costa.

Nascido no passado mês de setembro, o projeto agrega atualmente desenhos da autoria de crianças hospitalizadas em pediatrias referentes a todos os distritos de Portugal. Desenhos esses que ilustram a visita do Papa Francisco a Fátima por ocasião do centenário das aparições, decorrida no passado dia 13 de maio.

De fácil navegação e bastante intuitivo, o site está preparado para ser apresentado em cinco diferentes línguas (português, inglês, francês, italiano e espanhol) e possibilita a consulta dos desenhos através da navegação do mapa de Portugal dividido em distritos.

O projeto Waves of Drawings conta com o Alto Patrocínio do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, e do Comissário Europeu para a Inovação Social, Carlos Moedas, e ainda com o apoio da Embaixada de Portugal junto da Santa Sé. Marcelo Rebelo de Sousa afirma, aliás, que “este projeto leva a Roma e ao Vaticano, ao Hospital Bambino Gesù, muito mais do que os desenhos que ficarão expostos. Esta exposição é símbolo da vontade e criatividade do nosso futuro. Do futuro de Portugal, que são as nossas crianças. E, de igual modo, consegue exprimir a importância e necessidade do Serviço Nacional de Saúde na construção desse futuro.”

Para mais informações sobre o projeto Waves of Drawings aceder aqui.

Investigadora da U.Porto conquista bolsa para estudar o papel da dor no cérebro

Qua, 18/10/2017 - 09:30

Joana Barroso é estudante do doutoramento em Neurociências da FMUP.

Joana Barroso, aluna do doutoramento em Neurociências da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (FMUP) e investigadora do i3S (Instituto de Investigação e Inovação em Saúde da Universidade), acaba de conquistar uma bolsa de investigação para estudar a dor crónica. No valor de 10 mil euros, a bolsa atribuída pela Fundação Grünenthal permitirá dar continuidade a um trabalho que visa estudar os circuitos cerebrais de doentes com dor crónica e a forma como estes se relacionam com a dor.

“A dor crónica é uma condição que, em Portugal, afeta cerca de 30% da população. É comum que mesmo depois de uma intervenção, que à partida resolveria a patologia, o doente continue a sentir dor. Atualmente, acreditamos que o cérebro não só se adapta à dor crónica como também são as suas características individuais que influenciam o desenvolvimento da mesma”, explica Joana Barroso. “Queremos explorar de que forma esta condição está ligada ao cérebro para, assim, melhorar não só o diagnóstico mas também o tratamento da dor crónica”, acrescenta.

No estudo distinguido, a investigadora está a trabalhar com pacientes que sofrem de dor associada a artrose do joelho. Deste modo, através de um acompanhamento frequente e de várias ressonâncias magnéticas, é possível avaliar o comportamento do sistema nervoso central antes e após a intervenção cirúrgica. Este projeto está a ser desenvolvido em parceria com o serviço de Ortopedia do Centro Hospitalar São João, a Feinberg School of Medicine, em Chicago, e o Centro de Imagem – SMIC Boavista.

U.Porto com mais de 390 participantes na Corrida dos Ossos Saudáveis

Ter, 17/10/2017 - 14:30

Mais de 390 UPRunners na Corrida dos Ossos Saudáveis.

Uma manhã bem passada num ambiente descontraído e animado. Foi assim a Corrida dos Ossos Saudáveis que juntou, na Rotunda da Boavista, cerca de 400 estudantes Erasmus e membros da comunidade U.Porto entre os participantes do evento.

A U.Porto participou com a sua equipa UPRunning e as instrutoras UPFit que aqueceram todos os participantes.

A estudante da FMUP Sónia Barros foi a primeira atleta a cortar a meta.

Um destaque para os melhores “UPRunners”. A estudante Sónia Barros foi a primeira a cortar a meta e Ângela Carvalho terminou os 10 km na terceira posição entre 153 participantes da prova feminina. Sílvia Santos foi a terceira melhor UPRunner, 7.º lugar na classificação geral feminina.

Os três atletas masculinos da equipa UPRunning melhor classificados foram Diogo Delgado, primeiro entre os UPRunners e 9.°lugar na classificação geral entre 572 participantes. Seguindo-se Manuel Curral em 13.º lugar e André Silva 18.º classificado.

Um domingo saudável que promete repetir-se para toda a comunidade U.Porto.

Para quem já tem saudades pode participar no grupo de corrida UPRunning todas as quartas-feiras.

Este grupo é gratuito, aberto a toda a população e com um ritmo ajustável a qualquer pessoa. Ao completar os objetivos pode ganhar a t-shirt UPRunning ou até mesmo acesso gratuito a uma corrida da cidade do Porto.

Investigadores CINTESIS vencem Prémios de Alergologia

Ter, 17/10/2017 - 10:11

Investigadores do CINTESIS – Centro de Investigação em Tecnologias e Serviços de Saúde, unidade de I&D da Universidade do Porto, ganharam dois importantes prémios na área da Alergologia a nível nacional.

As distinções foram atribuídas no âmbito da 38ª Reunião Anual da Sociedade Portuguesa de Alergologia e Imunologia Clínica (SPAIC), subordinada ao tema “Alergia e Qualidade de Vida”, que decorreu neste mês outubro, na Figueira da Foz.

O Prémio SPAIC – AstraZeneca 2017 foi entregue ao projeto “FRASIS – Monitorização da Função Respiratória na Asma utilizando os Sensores Integrados do Smartphone”, assinado por Mariana Couto, Rute Almeida, Rita Amaral, Altamiro Costa Pereira, Ana Ferreira, Alberto Freitas, Cristina Jácome, Pedro Marques, Pedro Rodrigues e Ana Sá-Sousa, todos eles investigadores do CINTESIS.

“A estratégia do FRASIS é desenvolver, integrar e validar um conjunto de tecnologias de informação e comunicação (TIC) de saúde móvel (mHealth) para a monitorização remota, usando apenas o smartphone e os seus sensores integrados”, explicam os autores. Espera-se, desta forma, obter “um maior envolvimento e capacitação do doente no seu tratamento, fornecendo informação prospetiva de qualidade para uma melhor decisão clínica”.

Já o Prémio de Melhor Comunicação SPAIC 2017 foi entregue ao trabalho intitulado “Identificar Casos de Asma em Estudos Epidemiológicos: Desenvolvimento e Validação de Modelos Multivariados de Previsão”. Ana Sá-Sousa é a primeira autora deste estudo, no qual participaram também Ana Margarida Pereira, Luís Araújo, Mariana Couto, Tiago Jacinto, Alberto Freitas e João Fonseca.

“Os dois modelos desenvolvidos e validados permitirão identificar casos de asma em estudos epidemiológicos e/ou rastreio de asma”, indica Ana Sá-Sousa, que analisou os dados de centenas de adultos incluídos no estudo nacional ICAR – Impacto e Controlo da Asma e Rinite.

Estima-se que as doenças alérgicas afetem cerca de um terço da população portuguesa. A rinite alérgica é a mais comum, atingindo 25% dos portugueses, enquanto a asma atinge cerca de 7% da população.

Páginas

Logo FEUP
Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto
Serviço de Documentação e Informação - Biblioteca
Rua Dr. Roberto Frias
4200-465 PORTO
Tel: +351 22 508 1442
biblioteca@fe.up.pt